terça-feira, 7 de dezembro, 2010

Em 2009, a Secretaria de Estado da Cultura, por meio da ACAM Portinari, deu início ao projeto de restauro das obras do Museu de Esculturas Felícia Leirner, em Campos do Jordão. As 84 obras, sendo 44 em bronze e 40 de cimento branco, foram revitalizadas pelo renomado restaurador Júlio Moraes.

A primeira etapa, em 2009, contemplou as peças feitas em cimento, que passaram por uma restauração estrutural, desde a manutenção do concreto armado até a pintura com cal branca. No ano seguinte, as obras em bronze tiveram suas bases de tijolo trocadas por cimento aparente e foram polidas para recuperar o brilho.

As obras existentes no museu foram doadas ao Governo do Estado de São Paulo pela artista, em 1978. Como o acervo, espalhado pelos jardins do auditório Cláudio Santoro, fica a céu aberto, conta também com um projeto de conservação permanente, para evitar que as peças se desgastem excessivamente com a ação do tempo e intempéries.

Além da manutenção das obras, a partir de 2010 o museu também passou a contar com um moderno projeto de identificação visual, com a implantação de um totem sinalizando o início do seu perímetro e textos informativos sobre Felícia Leirner, a criação da instituição e a descrição do trabalho realizado pela artista para o espaço.

Cada escultura recebeu uma placa de acrílico transparente, informando o título da obra, ano em que foi feita e o material utilizado, além da cor – rosa, azul, verde, vermelho e amarelo – que indica a qual fase pertence.

Comentários:

O seu endereço de e-mail não será publicado.