Texto alternativo
15ª Primavera dos Museus: "Museus: perdas e recomeços" - A arte como subterfúgio - Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro Museu Felícia Leirner e Auditório Cláudio Santoro | Campos do Jordão-SP

Em atendimento à legislação eleitoral, alguns conteúdos deste site ficarão
indisponíveis de 2 de julho de 2022 até o final da eleição estadual em São Paulo.

15ª Primavera dos Museus: “Museus: perdas e recomeços” – A arte como subterfúgio

Você já participou de uma pintura coletiva? Os visitantes do Museu e Auditório foram convidados a imprimirem seus sentimentos por meio da arte. O resultado é exibido no vídeo de hoje e faz parte da 15ª Primavera dos Museus.

A atividade é inspirada na escultora Felícia Leirner que transformou suas emoções em obra, utilizando a arte como subterfúgio. Esse processo de transportar as emoções para as obras aconteceu, principalmente, na série nomeada “Cruzes”, assim como diz o crítico Frederico Morais: “A resposta artística de Felícia à morte do marido foi a admirável série de Cruzes, que tinha um lado pungente, emocional, mas que era também um avanço formal irrecusável em sua arte. Felícia tornara-se afinal, irremediavelmente, uma artista”. – Frederico Morais, Arte como Missão. Não deixe de acompanhar o resultado da nossa pintura coletiva cheia de emoções!

A Primavera dos Museus é um evento anual, com duração de uma semana, resultado de uma ação conjunta entre as instituições museológicas de todo o país e o Ibram (Instituto Brasileiro de Museus) com o objetivo de oferecer ao público uma programação diferenciada voltada para o tema do evento que, neste ano, será “Museus: perdas e recomeços”

Veja este post nas redes sociais