Boletim 34 Ir para o conteúdo

O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas, Museu Felícia Leirner, Auditório Claudio Santoro e ACAM Portinari, informam:

BOLETIM 34 CAMPOS DO JORDÃO | 2023

REFLEXÃO SOBRE AS FRONTEIRAS DO CONHECIMENTO DENTRO DO SETOR EDUCATIVO

O setor educativo desempenha um papel fundamental na intermediação entre o visitante e os espaços culturais, mediando o aprendizado, a disseminação do conhecimento e a interação do público com o local, por meio de ações educativas.

As ações e oficinas educativas realizadas no Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro são desenvolvidas pelo setor educativo e seguem temáticas, dentro dos pilares do espaço, sendo elas: Artes Visuais, Música e Patrimônio Ambiental, norteando as propostas educativas oferecidas ao público. O setor também abrange suas ideias no âmago do espaço através das datas comemorativas do calendário nacional e regional. Oferece oportunidades de aprendizado experiencial, onde os visitantes podem participar de atividades práticas, visitas educativas, experimentos, oficinas de interação com Museu e Auditório. Esse tipo de aprendizado envolvente e imersivo permitem que os visitantes vivenciem o conhecimento sobre o espaço de forma mais significativa e memorável. Oferecendo ainda oportunidades para que as pessoas acessem informações sobre os dois espaços culturais, abrangendo conceitos e ideias de diversas áreas do conhecimento, permitindo uma ampliação de horizontes e diferentes perspectivas onde se é possível observar.

O setor educativo conduz os visitantes a explorarem as artes visuais em seus diferentes estilos artísticos e técnicas a partir da artista Felícia Leirner, aprendendo sobre a história da arte e desenvolvendo uma apreciação pela criatividade e expressão artística. Bem como a música, no qual o Auditório promove através dos concertos os festivais de verão e inverno organizado pela OSESP (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo), assim como a série arte no outono e primavera que contam com apresentações teatrais, musicais e muito mais. Ações que permitem descobertas de novos artistas, aprendizado sobre a história da música, diferentes instrumentos e sons, onde o núcleo educativo, em prestígio também ao Claudio Santoro, desenvolve ações dentro do conhecimento da música.

O Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio são espaços nos quais a equipe do educativo pode explorar as áreas do conhecimento a partir de diversas perspectivas, permitindo uma visão ampla e interdisciplinar sobre os pilares que permeiam as instituições. As diferentes áreas que conduzem o setor estabelecem conexões entre elas, enriquecendo as experiências educativas oferecidas aos visitantes. Possibilita a criação de abordagens inovadoras e criativas no desenvolvimento de atividades educativas. Ao combinar elementos das artes visuais, da música e meio ambiente é possível criar experiências imersivas e sensoriais que estimulam a percepção e a compreensão dos visitantes. A interação entre diferentes áreas também pode despertar o interesse de públicos variados, tornando o museu mais acessível e atrativo. Nesse contexto, o Museu Felícia Leirner e o Auditório Claudio Santoro se destacam como importantes espaços culturais localizados também em meio a remanescentes da Mata Atlântica, sendo possível apreciar a beleza da natureza ao redor. Essa integração entre cultura e natureza cria uma atmosfera especial, que enriquece a visita e desperta a consciência ambiental. O Museu, por exemplo, abriga esculturas ao ar livre que dialogam harmoniosamente com a natureza ao redor. Essa interação entre arte e meio ambiente desperta nos visitantes a reflexão sobre a necessidade de proteger e conservar a biodiversidade local.

É interessante observar que apesar dos pilares permearem o Museu e Auditório, o cenário desses dois espaços culturais é rico em informações que podem ser exploradas em distintas áreas. Dessa forma o setor educativo desempenha um papel fundamental na exploração do conhecimento disponível no Museu e no Auditório.

O brutalismo é um estilo arquitetônico que surgiu na década de 1950 e se popularizou nas décadas seguintes. Caracterizado por sua aparência “bruta” e “crua”, também é conhecido por suas estruturas de concreto exposto, linhas retas, ausência de ornamentos, simplicidade e a funcionalidade na arquitetura (ANTONIO et al., 2017).

As ciências biológicas se encaixam na temática meio ambiente e abrangem a área de biologia, a diversidade da vida e o bioma Mata Atlântica, nas quais as características do ecossistema, dos animais e das plantas, podem ser conhecidas e observadas no Museu e Auditório. Estudar ciências biológicas em um espaço cultural é enriquecedor justamente pela interação dessas duas áreas do conhecimento.

O setor educativo também explora diferentes formas de conhecimento a partir de referências literárias sobre a Artista Felícia Leirner e suas poesias ou sobre Cláudio Santoro e suas composições cinematográficas, incluindo a área de estudo audiovisual, aprendendo sobre a história do cinema e refletindo sobre questões sociais e culturais retratadas na sétima arte. Propostas sobre eventos históricos, culturas passadas e tradições preservadas, desenvolvendo uma compreensão mais profunda da cidade de Campos do Jordão e muito mais. A equipe também estabelece parcerias com instituições educacionais, como escolas ou universidades, para complementar e enriquecer o currículo formal. Assim como visitas escolares junto a oficinas como complemento lúdico do aprendizado, programas educativos específicos, projetos colaborativos, recursos educativos, onde estão alinhados com os objetivos culturais do Museu e Auditório e suas fronteiras do conhecimento que podem ser exploradas.

Desse modo é oferecido uma série de atividades e recursos para promover a aprendizagem e o desenvolvimento dos visitantes e das escolas de forma inclusiva, adaptando suas atividades e recursos para atender diferentes faixas etárias, níveis de conhecimento e necessidades dos visitantes, desenvolvendo materiais educativos em formatos acessíveis, onde o conhecimento e as informações presentes no Museu Felícia Leirner e no Auditório Claudio Santoro podem ser compartilhados de forma inclusiva e democrática.

Em suma, a “polimatia” de um setor educativo permite que os profissionais tenham conhecimentos adequados para adaptar as informações e atividades de acordo com as necessidades e interesses de cada assunto. Dessa forma, é possível promover uma educação mais inclusiva e personalizada, atendendo às demandas específicas de cada visitante, além da capacidade de dialogar com diferentes públicos e faixas etárias. A formação de profissionais mais completos e versáteis no contexto atual em que a interdisciplinaridade é cada vez mais valorizada, assim como possuir conhecimentos em diferentes áreas são um diferencial importante no Museu e Auditório.

REFERÊNCIAS

MUSEU FELÍCIA LEIRNER E AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO. Programa Educativo e Cultural. ACAM Portinari: Campos do Jordão, 2021.

ANTONIO, Augusto. et al. Brutalismo: Conceitos e análises da Escola Paulista da Arquitetura Moderna Brasileira. Anais do 15º Encontro Científico Cultural Interinstitucional e 1° Encontro Internacional. Paraná, 2017.

Venha conhecer, participar, compartilhar dos nossos projetos e atividades.